É possível financiar sem entrada?

pessoa com dúvida se é possível financiar sem entrada

Índice

Uma pergunta muito comum quando o assunto é crédito imobiliário consiste em: é possível financiar sem entrada? Afinal, mesmo sendo uma porcentagem pequena do valor total do imóvel, o preço da entrada costuma ser alto e nem sempre as pessoas o possuem para realizar o sonho de comprar a casa própria.

A verdade é que existe sim essa possibilidade, no entanto, é preciso verificar se o perfil do comprador se enquadra nas opções existentes.

Portanto, para esclarecer todas as dúvidas a respeito do tema e obter demais dicas e informações a respeito do assunto continue lendo este artigo e confira os tópicos a seguir.

  • Como funciona a entrada no financiamento
  • Formas de financiar imóvel sem entrada
  • Dicas para ter o dinheiro da entrada

Como funciona a entrada no financiamento

Em geral, os financiamentos imobiliários realizados pelas instituições financeiras costumam cobrar uma entrada de 20% a 30% sobre o valor total da casa, apartamento ou outro bem que se queira adquirir.

Dessa maneira, o restante do preço é parcelado, sendo que as prestações devem ser pagas todos os meses.

A duração do contrato varia de acordo com o número de parcelas, sendo que em alguns casos ele pode se estender por até 30 anos.

Mas nem sempre as pessoas contam com o dinheiro necessário para dar de entrada no financiamento do imóvel.

A boa notícia é que existem algumas linhas de crédito onde é possível financiar sem entrada, uma vez que o financiamento é de 100% o valor do imóvel.

Normalmente, são referentes aos programas habitacionais do governo, sendo necessário se encaixar no perfil atendido.

Formas de financiar imóvel sem entrada

Veja a seguir quais são as formas existentes para financiar imóvel sem entrada.

SFH – Sistema de Financiamento Habitacional

Oferece condições facilitadas de financiamento para os cidadãos, porém, esse sistema apenas permite parcelar 80% do valor do imóvel. Ou seja, deve-se dar 20% de entrada.

Por outro lado, para a entrada é possível usar o dinheiro que o comprador possui na sua conta do FGTS – Fundo de Garantia de Tempo de Serviço, se for o caso. Além disso, é preciso atender alguns requisitos.

Entre eles, quem deseja financiar imóvel e usar o dinheiro do FGTS para dar de entrada, se na conta tiver o suficiente, precisa ter, pelo menos, três anos de trabalho com carteira assinada.

Esse período não necessita ser consecutivos e nem na mesma empresa.

Além disso, o interessado em comprar o imóvel não pode ter em seu nome um outro imóvel na mesma cidade onde mora ou trabalha, nem mesmo em municípios da mesma região metropolitana.

Ele também não pode ter um outro financiamento imobiliário ativo pelo SFH.

A residência que se quer adquirir também deve seguir algumas regras, como estar situada na mesma cidade onde o comprador trabalha ou mora.

Demais exigências são que o imóvel seja urbano e residencial, bem como sirva exclusivamente para o comprador morar com a sua família.

Isto é, ele não pode ser vendido e nem alugado, não ao menos enquanto houver o contrato de financiamento, embora existam algumas exceções.

Por fim, mais um critério é que o local não tenha sido comprado anteriormente com dinheiro do FGTS há menos de 3 anos.

Programa Casa Verde e Amarela

Existe ainda mais uma possibilidade de financiar sem entrada a sua casa ou apartamento e consiste em aderir ao programa habitacional do governo federal Casa Verde e Amarela.

Com ele, pessoas de baixa renda conseguem financiar um imóvel para morar com juros bem abaixo do mercado.

Para dar de entrada, é possível usar o subsídio que é oferecido para as famílias que possuem renda de até R$ 4 mil.

Além disso, há uma novidade para esse programa, que se chama Parcerias e que consiste nos estados garantirem a contrapartida de 20% do valor do imóvel, que pode ser usado na entrada.

Mas para aproveitar esse benefício é preciso verificar se o seu estado já aderiu à parceria.

Dicas para ter o dinheiro da entrada

Embora muitas pessoas não tenham em mãos o dinheiro necessário para dar de entrada no financiamento de uma casa ou apartamento para viver com a sua família, a questão é que quanto maior o valor dado da entrada, melhor é para o próprio comprador.

Afinal, isso quer dizer que o valor restante do imóvel, que será financiado, fica menor. Por consequência, significa que ao longo do contrato haverá um menor gasto com juros, já que o número de parcelas será menor ou mesmo cada prestação terá um preço mais baixo.

Em outras palavras, dar de entrada uma porcentagem da residência que se deseja adquirir é uma boa decisão. Por outro lado, como já dito, nem todas as pessoas possuem esse valor em mãos, mas é possível ter com um planejamento financeiro.

Assim, recomenda-se economizar a partir de agora o dinheiro necessário para dar de entrada, sendo que essa atitude vale muito a pena a longo prazo.

O primeiro passo é fazer uma simulação de financiamento imobiliário nos sites dos principais bancos.

Com algumas informações como data de nascimento do comprador e a sua renda é possível verificar o valor que o imóvel a ser financiado pode ter. Desse modo, é possível ter uma ideia melhor do valor de entrada que é preciso poupar.

Ao saber isso, você pode determinar um valor para economizar todos os meses. E claro, ter uma noção de quando poderá fazer o seu financiamento.

É importante entender que o planejamento financeiro é essencial em qualquer situação que haja um financiamento.

Isso ocorre porque, independente de dar ou não uma entrada, o valor do imóvel é parcelado em inúmeras vezes e as prestações devem ser pagas mensalmente.

Quando isso não é feito, o comprador corre o risco de perder a casa ou apartamento que está financiando.

Então, é preciso organizar as finanças de modo que se consiga pagar todas as contas mensais habituais e também a parcela do financiamento.

É normal que a partir desse momento a família tenha que fazer algumas mudanças nos hábitos do seu dia a dia, a fim de economizar dinheiro.

Isso pode ser feito evitando gastos desnecessários e trocando produtos e serviços que ofereçam preços mais vantajosos.

As mudanças são possíveis, mas é fundamental manter o foco e organizar as finanças para que se consiga atingir os objetivos propostos.

E aí gostou do assunto é possível financiar sem entrada? Comenta aqui pra gente! Assim podemos fazer cada vez mais matérias em nosso blog.

Aproveita e acompanha a Marcello e Oliveira nas redes sociais: Facebook, Instagram e no Youtube!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *